Grupo Hospitalar Conceição
13.03.2018 ENSINO E PESQUISA

Realizada aula aberta da Residência Multiprofissional em Saúde do GHC

Abertura do ano letivo da Gerência de Ensino e Pesquisa reuniu residentes, preceptores e funcionários do GHC
Na mesa de abertura, Thaiani de Castilhos, Mauro Sparta e Geraldo Jotz.
Foram convidados José Geraldo Soares Damico, Laura dos Santos Boeira e Luiz Fernando Bilibio.
Público lotou espaço na Unisinos Porto Alegre.

Dando início às atividades letivas de 2018, foi realizada na segunda-feira, 12 de março, aula aberta da Residência Multiprofissional em Saúde do Grupo Hospitalar Conceição (RMS/GHC). Com o tema "Saberes e Fazeres na Residência: Pensando a formação em Saúde", o encontro reuniu no auditório da torre educacional da Unisinos Porto Alegre, residentes de 1º, 2º e 3º anos da RMS/GHC, além de preceptores e supervisores do programa, funcionários do GHC e alunos de cursos vinculados à Gerência de Ensino e Pesquisa do GHC e convidados externos.

A mesa de abertura foi composta pelo diretor técnico do GHC, Mauro Sparta, pelo gerente de Ensino e Pesquisa do GHC, Geraldo Pereira Jotz, e pela coordenadora da RMS/GHC, Thaiani de Castilhos. Geraldo Jotz, profissional que é cedido pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul (UFRGS) ao GHC, destacou a importância do programa, referência em âmbito nacional, pela formação de agentes ativos em prol do Sistema Único de Saúde (SUS) ao agregar a prática ao conhecimento teórico.

O espaço, pensado para integração e articulação entre os presentes, cumpriu o objetivo de promoção e troca de saberes entre participantes dos sete programas ofertados pela RMS/GHC. Ao todo mais de 230 pessoas participaram do evento, que teve como convidados José Geraldo Soares Damico, Luiz Fernando Bilibio e Laura dos Santos Boeira.

Psicóloga formada pela UFRGS e ex-residente em Onco-Hematologia pela RMS/GHC, Laura Boeira, fez a primeira fala. "Caminhar pela saúde pública é igual a um caso de amor", a profissional usou a analogia ao apresentar sua trajetória profissional, apontando caminhos e desafios aos novos residentes do programa.

O professor da Escola de Educação Física, Fisioterapia e Dança (ESEFID) da UFRGS Luiz Fernando Bilibio trouxe quatro frases fortes que, segundo ele, compõe o imaginário em torno da RMS: "A residência serve para conquistar corações e mentes para o SUS"; "É no serviço que a gente aprende o importante"; "O residente consegue enxergar aquilo que o trabalhador deixou de ver"; "Os residentes oxigenam os serviços". Com a ideia de provocar os presentes, Bilibio apontou relativismos nestas colocações, na intenção de construção de consciência crítica para invenção de novas realidades de atuação.

O também professor da ESEFID/UFRGS José Geraldo Damico, na última fala dos convidados, apontou para sentimentos de incertezas e sofrimento no trabalho a fim de reconhecer suas motivações. "O motivo pode ser a própria paixão e amor às pessoas que serão encontradas no caminho".

Ao final das palestras, se abriu a perguntas e colaborações dos presentes, num ambiente que, assim como na RMS/GHC, preza pela colaboração mútua, onde todos têm algo para aprender e para ensinar.

Creditos: Bruno de Barros